slow-fashion

Conheça o slow fashion, movimento que estimula o consumo consciente

26 abril, 2019


3 min (tempo estimado de leitura)

Fomos em busca de mais informações sobre o slow fashion, movimento crescente que busca novas formas de fazer moda. Agora, você confere tudo que a gente descobriu sobre essa tendência que está mudando a forma de consumo de muita gente.

Até bem pouco tempo atrás, era comum ter uma peça de roupa ou acessório herdados da família – um blazer de corte impecável, um vestido de festa atemporal, uma bolsa que resiste ao tempo mantendo-se bela e moderna.

Esse costume está se tornando cada vez mais raro com a popularização das fast fashion. A produção em massa de peças com qualidade questionável, a troca de coleções em tempo recorde, o custo menor e o see now buy now transformaram o mercado da moda nas últimas duas décadas.

Dessa conta, ficaram de fora os custos ambientais, os danos causados pela exploração de mão de obra barata e outros aspectos sociais – por ano, a gigante do varejo H&M queima 12 toneladas de roupas excedentes, que não foram vendidas.

Na contramão desse comportamento de consumo amplamente estimulado e socialmente nocivo, surgiu o slow fashion, um movimento que questiona a necessidade de produzir, vender e comprar de maneira desenfreada. Esse conceito foi criado em 2007 pela inglesa Kate Fletcher, consultora e professora de design sustentável, em um artigo publicado no The Ecologist.

slow-fashion-2O conceito é uma adaptação do slow food, adotado por italianos na década de 90 e que contestava o desperdício de alimentos.

Na moda, o slow fashion busca por formas de estimular a conscientização para os danos sociais e ambientais do sistema atual da moda. A preocupação com um consumo mais racionalizado, aliás, parte da própria sociedade e já é apontado como tendência de comportamento pela WGSN. Segundo uma pesquisa recente realizada pelo instituto, os consumidores estão desafiando o mercado de consumo e os antigos modelos econômicos.

A mudança de atitude do público está exigindo que indústrias, marcas e lojas reconsiderem a estrutura de seus negócios, já que as pessoas estão cada vez mais procurando por produtos duráveis, sustentáveis e que possam ser revendidos.

Abaixo você confere os pontos mais importantes que o movimento slow fashion propõe e procura estimular:

• Produzir roupas mais duráveis, com ciclo de vida maior
• Priorizar a matéria-prima natural e produção local
• Desenvolver coleções que refletem a cultura regional
• Valorizar os consumidores próximos
• Abraçar a diversidade
• Produzir em menor escala
• Levar em conta os custos sociais e ecológicos ao precificar
• Desestimular a hierarquia entre estilistas, produtores e consumidores
• Incentivar a consciência ética e reconhecer os impactos do consumo excessivo

Ainda há um longo caminho a percorrer, mas é possível começar a mudar o mercado com pequenos passos. Que tal começar a rever seus processos produtivos e olhar com mais atenção para os aspectos sociais e ambientais do seu negócio? Se você quiser saber mais sobre o assunto, descubra o que é o Upcycling e como unir moda e sustentabilidade.

Saiba mais:

A moda vegana e a adequação do mercado

Como a pesquisa de satisfação pode ajudar a sua loja

Quais as tendências do mercado têxtil

Descubra como melhorar a jornada de compras do seu cliente


Deixe um comentário