slow living

Slow Living, um novo estilo de vida do consumidor

30 outubro, 2020


5 min (tempo estimado de leitura)

Desacelerar… Com a chegada do Covid-19 todo mundo sentiu na pele o significado dessa palavra. Rotinas mais agitadas, uma vida corrida, baseada em esperar os dias chegarem sem viver o hoje, o presente. O Slow Living veio para mostrar que é possível viver em equilíbrio com mente, espírito e consumo.

Inspirado em muitos outros “slows”, como o Slow Food (movimento que aconteceu na Itália por volta dos anos 80, para romper com o alto consumo de fast food), o Slow Living é a chave para quem quer e busca uma forma melhor de viver, com mais serenidade e bem estar, aliado ao consumo sustentável e ecológico.

Atualmente muitas pessoas se questionam sobre a necessidade do consumismo tão acelerado e da maneira como os objetos e utensílios são facilmente descartados ou substituídos. Os benefícios da prática do Slow Living vão além do baixo consumo, incentiva uma mudança de pensamento de uma sociedade regida por hábitos, assim como visa reduzir o esgotamento humano (corpo, mente e espírito) e também da natureza.

Além disso, o Slow Living desperta nas pessoas uma maneira diferente de olhar e cuidar de si, de trocar telas por livros, de priorizar o tempo com as pessoas que ama, definir prioridades, de fazer uma coisa de cada vez, viver na simplicidade. Este conceito traz a tona a atitude de se perguntar como está a sua relação com o tempo.

slow living

O Slow Living não foi o único movimento que surgiu depois do Slow Food. Também foram desencadeados:

  • O Slow Parenting: criado para desacelerar a criação das crianças, com menos pressão e mais espaço para que se desenvolvam no tempo e do jeito certo, sem apressar ou adultizar os pequenos.
  • O Slow Medicine: a filosofia deste movimento consiste em dar mais atenção ao paciente, ter tempo e disposição para ouvir, atender de maneira cuidadosa e respeitosa. Resgata a essência da arte de cuidar.
  • E o Slow Fashion: um movimento que questiona a necessidade de produzir, vender e comprar de maneira desenfreada. Busca comprometimento das indústrias para o uso dos recursos de forma responsável.

Slow Living + Slow Fashion: quem é o novo consumidor?

Os dois conceitos unificados trazem com mais força o questionamento: quem é o novo consumidor? E como você pode atendê-lo? No mundo da moda e com todos esses “slows” acontecendo ao mesmo tempo, é preciso se diferenciar, se destacar para vender mais e continuar em ascensão no mercado.

O novo consumidor está buscando por uma marca que atenda aos mais diversos requisitos, sendo os três principais:

  • Que produz roupas com um ciclo de vida maior e em menor escala;
  • Que leve em conta os custos sociais e ecológicos ao precificar o produto;
  • Que incentiva e reconhece os impactos do consumo excessivo.

Tanto a tendência do Slow Living como a Slow Fashion estão, aos poucos, ganhando novos adeptos. Logo, vale repensar sobre os seus princípios e o que a sua empresa prega (ou passará a pregar de agora em diante).

Fazendo pequenas adaptações na sua empresa, é possível torná-la, caso for seu desejo, em uma empresa adepta ao Slow Fashion. Pense fora da caixa: 

  • Opte por fornecedores que se identifiquem com o movimento Slow Fashion/Living e tome atitudes para se comprometer com ações sustentáveis;
  • Seja franco com os clientes: mostre a eles o seu processo de produção;
  • Aprecie e trabalhe com produtos mais artesanais, que fogem do tradicionalismo de ter tudo instantaneamente;
  • Valorize modelagens simplificadas;
  • Embalagens rústicas ou naturais também são importantes. Jutas, cordas, papelão, papel reciclado, tudo conta;
  • Aviamentos são fundamentais na produção de lingeries. Opte por aviamentos de qualidade, que proporcionem maior vida útil às peças com modelagens atemporais.

Esta é uma “fatia” de mercado que está crescendo cada vez mais. Caso esteja iniciando sua empresa do zero, leve em consideração este público. E se a sua empresa já estiver a todo o vapor, mas você deseja testar a aceitação da sua marca nesse mercado, comece aos poucos, faça uma coleção cápsula para o público Slow, por que não?! É uma maneira de atrair mais pessoas e consequentemente vender mais. 

slow living

Fonte: Khara Kapas

Preparado para dar os primeiros passos no mundo Slow? Conte pra gente nos comentários a sua experiência com esse estilo de vida!

E não esqueça de baixar o nosso Vídeo-Book, nele elencamos muitas dicas legais e inspirações para a criação de peças de moda íntima e esportiva.


Deixe um comentário