exemplo de uso de moodboard para criação de coleção de moda

Moodboard: o que é, pra que serve e como fazer o seu!

8 julho, 2021


8 min (tempo estimado de leitura)

O moodboard é uma ótima ferramenta para auxiliar na definição de conceitos de projetos de trabalho em diversas áreas. Saiba como fazer o seu!

A criação de conceito e identidade de uma coleção pode ser uma das partes mais cruciais do processo. É nesse momento que é definida a essência da produção, afinal todas as peças devem seguir o conceito e estilos estabelecidos, tudo precisa estar alinhado com o que foi proposto.

Existem diversas ferramentas, softwares e técnicas que auxiliam para deixar esse processo ainda mais efetivo. Mas, ainda pode bater aquele bloqueio criativo! Como definir os melhores tecidos, cores e formas, para que tudo fique harmônico?  A solução pode ser a criação de um moodboard.

Continue a leitura e entenda mais sobre esse recurso, seu conceito, para que serve e aprenda como fazer o seu.

 

O que é um moodboard?

Moodboard pode ser traduzido como quadro de ideias, painel semântico, quadro de humor, e diversos outros termos. Mas, em essência, funciona como um quadro de inspiração, com várias referências relacionadas a um assunto em específico.

Essa ferramenta é utilizada nas mais variadas áreas, desde a publicidade, até a arquitetura, design de interiores e claro, a moda.

Pense, quais são os principais elementos que compõem uma coleção de moda? Tenho certeza que você vai citar as cores, tecidos e aviamentos entre os itens, afinal, eles têm importância fundamental para transmitir todo o conceito pensado para a coleção. Todos esses itens podem estar presentes em um moodboard.

moodbard com o ema forest seductions

Pra que serve um moodboard?

Como falamos, ele funciona como um quadro das inspirações. Pode ser uma ferramenta valiosa para juntar diversos elementos relacionados ao conceito do projeto que está sendo desenvolvido. Pense que você está criando uma nova coleção de moda praia, por exemplo, e tem como tema principal a natureza.

Definindo o tema central da coleção como natureza, questione-se: você quer trabalhar o verde das árvores? os animais? os elementos de botânica? Quer focar em flores? Todas estas questões têm grande importância para o resultado final e, com a criação de um moodboard, se torna mais fácil defini-las e combiná-las.  

Uma das principais funções do moodboard é auxiliar na definição do estilo de um projeto. A partir da colocação de referências, tudo é analisado e assim, define-se o que melhor se encaixa no desenvolvimento do projeto.

Por exemplo, você pode ter um quadro com uma paleta de cores relacionada à natureza, também algumas imagens de árvores, rios, animais, flores, e o que mais achar pertinente. Além disso, pode incluir outros elementos ligados a esse universo, como amostras de tecidos, elásticos, fios ou rendas, que podem servir de inspiração para sua coleção.

Em essência, o moodboard serve como uma forma de juntar diversos elementos sobre um tema para auxiliar no momento de desenvolvimento dos projetos. Com os elementos reunidos lado a lado, fica mais fácil observar o todo e ter ideia de como desenvolver os produtos. Por isso, é uma ferramenta muito utilizada nos processos de criação.

moodboard com o tema terracota

Como criar seu moodboard?

Agora que você já sabe o conceito de moodboard, e também para que serve, vamos falar sobre como criar o seu.

Existem várias formas de criar um moodboard, de forma digital ou física. A melhor opção depende do seu fluxo de trabalho e informações, ou seja, do que mais se adequa ao seu estilo de trabalho.

Você pode optar por criar o painel como uma arte em um programa de design e edição de imagem, como o Photoshop por exemplo, e ir adicionando os elementos aos poucos durante a sua pesquisa de tendências e conceitos. 

Outra possibilidade é utilizar sites para a criação de moodboards, como o Crello, que conta com funcionalidades específicas para a criação dos painéis.

Mas, se você não quer que o seu moodboard seja apenas digital, pode imprimir as referências, recortar revistas ou artigos para montar seu painel no papel. Colete amostras de elásticos, rendas, fios ou tecidos que você acredite fazer sentido para o conceito da coleção. 

Uma dica interessante, é adicionar elementos que representem o próprio tema de pesquisa, para trazer referências de textura e volume. Pense na elaboração do moodboard da sua coleção inspirada em natureza, caso você foque a pesquisa em uma determinada flor ou tipo de folha com características específicas. Adicione uma imagem, ou uma amostra da própria flor ou folha em seu moodboard, assim você poderá observar e fazer comparações das combinações possíveis com os demais elementos do painel.

Sinta-se livre e solte a imaginação para sair do papel. Pense na possibilidade de utilizar uma parede ou quadro do seu ambiente de trabalho para colar referências, fazer rabiscos e conexões e também ter uma visualização mais fácil de todos os elementos.

A melhor opção depende do que mais se encaixa em seu processo e ritmo produtivo. O importante é que o moodboard seja uma forma de ditar o tom das suas criações e leve você a fazer conexões diferenciadas entre os elementos, para criar algo inovador.

Então, você pode testar para entender o que funciona melhor para você. Mas, independente da sua preferência de formato, temos algumas dicas de como criar o seu.

exemplo de moodboard

Defina um estilo principal

Como falamos, um dos objetivos do uso do moodboard é auxiliar na definição do estilo e conceito dos projetos. Porém, quando você tem em mente, por exemplo, o lançamento de uma nova coleção já tem alguns elementos definidos antes de iniciar a produção. 

Por isso, considere esses elementos na hora de definir o estilo do seu moodboard: será um painel mais clássico ou futurista?  Voltado para o varejo? Mais carregado ou clean? O estilo do moodboard estará intrinsecamente ligado ao tema escolhido para coleção e terá influência nas possíveis conexões que você fará para criar as peças. É a partir disso que você começa a buscar e montar suas referências.

 

Não se apegue

O moodboard deve ser considerado um trabalho em progresso durante toda a pesquisa de coleção. Ele precisa ser constantemente atualizado, para que os elementos façam sentido e fiquem de acordo com a evolução do seu conhecimento do tema e foco da coleção. Não se prenda ou se apegue demais a um modelo pré-estabelecido no início. 

 

Atenção a paleta de cores

A definição da paleta de cores é um dos momentos mais importantes. A partir dela, diversos outros elementos são definidos. Portanto, dedique tempo e atenção para esse momento, ele é crucial para manter uma harmonia e identidade visual no desenvolvimento da sua coleção.

 

Moodboards em movimento

Sugerimos acima criar seu moodboard em ferramentas como Photoshop, ou até mesmo dedicar uma parede de sua sala para juntar as referências. Porém, quando falamos do uso virtual desta ferramenta, também existe a possibilidade de contar com programas editores de vídeo, e assim criar um moodboard com ainda mais elementos. Dessa forma é possível incluir pequenos vídeos e até músicas.

 

E você, já usa o moodboard no seu dia a dia? Ele é uma ótima ferramenta para auxiliar na execução de projetos de moda. Continue acompanhando nosso blog para ter mais dicas sobre gestão, criatividade, atendimento e muitos outros assuntos relacionados ao universo têxtil.

E, se você quer exemplos e inspirações de moodboards que podem ser usados na moda íntima, baixe nosso video-book e confira moodboards prontos e gratuitos baseados nas tendências da WGSN para 2021/22.

banner para download do video book da Zanotti


Deixe um comentário